Atalhos aos Fundamentos => 1ºF 2ºF 4ºF 5ºF Final .

  TCE - Tratado Cosmológico Espacial.

Atualiz. 19/10/2021

. O  3º  FUNDAMENTO  DA  TEORIA  ESPACIAL:

“ A  estabilidade  da  'matéria'  é  condicional à "ausência" crítica do  'Espaço' para a movimentação das componentes subatômicas, que formam um 'vácuo espacial'; a "barreira" quase intransponível da energia quantificada em camadas eletrônicas. "

*

POSTULAÇÃO  BÁSICA - 3º FUNDAMENTO

*  A ausência crítica do 'Espaço' corresponde a uma "extrapolação" entre a quantidade requerida do 'Espaço' e a efetivamente absorvida na movimentação das entidades subatômicas.

*   A estrutura estável do 'átomo' é conseguida graças ao 'vácuo espacial' resultante das altíssimas rotações orbitais dos elétrons, principalmente. A essas camadas tênues de vazio espacial foi denominado de 'eletrocapas'.

*   Sem as 'eletrocapas' que retêm o 'Espaço quântico', não é possível a existência da estrutura de 'matéria', seja no estado sólido, líquido ou gasoso.

*  Quanto maior a 'densidade de movimento', maior será o 'vácuo espacial', e, consequentemente, maior a concentração de energia no núcleo atômico.

*  Quanto mais densa for uma 'estrutura atômica', maior é o requerimento do 'Espaço' e, consequentemente, maior é a possibilidade de perdas de energias e comportamentos radioativos..

*   A "ausência total" do 'Espaço' equivale ao 'vácuo absoluto'; o 'Nada'! uma condição extrema e hipotética.

*   O 'Nada' é sólido e nada é tão sólido quanto o 'Nada'.

*

AXIOMA  Nº 03

“ Se não houvessem as 'barreiras invisíveis' formadas pelas camadas de 'vácuo espacial' às voltas dos núcleos atômicos, não seria possível a 'retenção' da energia lá existente e a estabilidade e solidez da matéria em qualquer estado ”

*

DISSERTAÇÃO 3º FUNDAMENTO:

"TUDO DEPENDE DO NADA" - O Paradoxo da Existência Material!

O 'Espaço' está para o nosso sistema solar, assim como a água está para um aquário cheio de peixes, que se movimentam através da água. Se retirarmos toda a água, os peixes perdem a "sustentação", caem num vazio e morrem...

Se fosse possível retirar todo o 'Espaço' do sistema solar, os planetas, satélites e os outros astros perderiam também a 'sustentação' e ficariam inertes, porque todos os movimentos cessariam, pois sem 'Espaço' não pode haver movimento, como profere o 1º fundamento da Teoria Espacial.

Não é difícil imaginar um 'vácuo de espaço', pois é semelhante a um "'vácuo de ar" na atmosfera terrestre. O princípio é similar, porém, se “todo movimento requer Espaço...” e, se a quantidade de movimento "exigir" mais do que a quantidade do 'Espaço' disponível, ele faltará naquele instante... E, no próximo 'momento' (giro), irá faltar outra vez, e assim sucessivamente - o que gera uma "película" de 'vácuo espacial' (eletrocapas), que é com certeza uma "barreira intransponível" para qualquer tipo de 'energia' (quando o vácuo é total). É exatamente essa barreira que garante a estabilidade da matéria. As barreiras invisíveis do 'vácuo espacial' substituem as "supostas" forças fortes do Modelo Padrão atual.

A velocidade com que os planetas se deslocam pelo 'Espaço-sideral' é muito significativa, apesar de suas gigantescas massas. A Terra, por exemplo, possui uma velocidade média de 107.172 km/h, sem somar com a velocidade do Sol, da Galáxia etc. E, em torno do seu próprio eixo, uma média de 7,292E-5 Rad/s, o que equivale a 696.143E-6 rpm, ou uma velocidade linear na superfície de 1.675 km/h. Agora, imagine a velocidade média de um elétron qualquer... (Ref.: Halliday&Hesnick)

Albert Einstein intuiu uma fórmula que traduz bem a 'quantidade de movimento' (velocidade) que envolve 'unidades de massa' e energia: e = mc² (c² = 90.000.000.000 km/s); Uma massa mínima  equivale a uma quantidade imensa de energia.

***

A seguir, Postulados e Axioma do 4º Fundamento...

< PÁGINAS >